02 julho 2009

A solo

Não querendo plagiar o tema de um episódio da série divertidíssima “How I met your mother”, o facto é que ultimamente, quando surge um convite para jantar de amigos (nesta altura são alguns e, graças à Santa, que ainda não começou a onda dos casamentos) tem que vir, infelizmente, acoplada a pergunta fatal: “Vais sozinha ou levas alguém?”. As pessoas pensam que já estamos naquela idade em que a vida está encaminhada e faz-se tudo a dois. É o caso para a maioria, mas – take your head out of your ass –, acreditem ou não, há quem fuja a essa generalização. Quando respondo prontamente que vou só eu, lá vem o “Ah, tá bem” com a conotação de “Esta fica para tia”. Mas o que é que é tão estranho em ir sozinha? Será tão difícil de crer que este pedaço de mau caminho não tenha encontrado um par à sua altura? (haha, coça aqui que esta tem piada) Porque é que ninguém fica em dúvida se sim, tenho namorado, mas que é tão tremendamente giro, sexy, educado e divertido, que não o trago a estas coisas com medo que alguma das “mal casadas” lhe ferre os dentes? (deixo-o amarrado em casa... hmm...) É uma hipótese plausível, ou não? Porque é que o “Ah, tá bem” que vem com o sentido de “Coitada, daqui a uns anos está a viver com 5 gatos”, não vem antes com o sentido de “Cabrita egoísta, quer aquele Deus só para ela”?!
Que falta de sensibilidade.

3 comentários:

francis disse...

realmente é um tipo de preconceito que irrita, temos isto demasiado enraizado. larguem o pessoal da mão.





ps ;"take your head out of your ass"
vulgo where the sun don't shine.

jone disse...

lol... não tenho a certeza, mas pode ser definitivamente por tu não seres uma cabrita... tu és uma mini-cochamouse, é o que és.... ;)

Teresa disse...

Isto de elogios... até fico sem jeito!! O meu sonho é ser uma mini-cochamouse!! Mas nunca vou chegar aos calcanhares de tão maravilhoso ser!! :D