05 julho 2009

Um conselho que vos deixo

Nunca, mas nunca, vão de ressaca para um casamento.
"Ah, o final do estágio calha dia 3 e tenho um casamento dia 4. É na boa." Não é.
Jantar de 6º ano e comemorações até às tantas. Dormi 3 horas. Levantei-me ainda zonza, tomei banho, vesti a fardamenta com que só me apanham nestas ocasiões e calcei os saltos altos que me deram pesadelos as últimas duas semanas. Os papás vieram buscar-me e seguimos por uma estrada cheia de curvas e solavancos para uma quinta no fim do mundo dos arredores de Coimbra. De cabeça fora da janela, a cada curva fechava os olhos, respirava fundo e rezava três Avé-Marias para não sujar o vestido com o jantar de ontem. Enfardei salgadinhos porque não há nada como coisas gordurosas para curar a ressaca. Emborquei de um trago duas garrafas de água e não mais deixei o barzinho até encher a bexiga. Os pés ainda doíam da discoteca, as forças faltavam até para segurar a carteira minúscula, a cara pálida e a maquilhagem da noite anterior assustava os primos afastados que só me vêem uma vez por ano. "Estás com um ar cansado, tens andado a estudar muito..." diziam eles, não reparando no olhar reprovador da minha mãe que sabia bem de onde vinha o cansaço...
A missa é longa, junto as pestanas 50 vezes, a cada uma olhando discretamente para os lados para ver se alguém tinha notado. O coro é bonito mas a flauta (daquelas de plástico) desafina de tal maneira que só apetece chorar. Ainda desinibida, dou os parabéns à noiva e quase deixo soltar que o vestido é horrendo. Está tudo cheio de frio com o tempo enevoado e só eu me abano com o programa das festas. Lá vem o almoço. Fico melhor. Luto incessantemente contra a urgência em dormir a sesta, mesmo com o barulho infernal do grupo de baile. Dispenso o tio doido varrido que me tenta puxar para dançar, e que tanto anima 300 pessoas como estraga a festa em 3 tempos. Mais comida, nunca mais acaba, partida do bolo, nunca mais acaba, fogo de artifício, nunca mais acaba, distribuição de presentes, nunca mais acaba... acabou. Volto a casa a dormir o primeiro sono no carro. Ah... abençoado chinelinho, rico pijama, querida cama.
Que dia infernal. Não façam isto em casa.

6 comentários:

Senhor das Chaves disse...

Eu so vou a casamentos quando estou bebado lol quando estou de ressaca, prefiro outros locais menos cheios de tios dançadeiros lol

espero que o teu dia de descanso tenha corrido bem.

Um beijo :o)

Andorinha disse...

Done that too...não se recomenda :D

Senhor das Chaves disse...

Lamento informar-te que tens um selo à tua espera no meu blog :o)

Teresa disse...

Obrigada, oh mighty lord of keys!!

Vou já tratar disso! :D

francis disse...

esepcialmente se for o teu...

Teresa disse...

Pois, francis, isso realmente não se recomenda nada!! :D