15 junho 2009

O quase

Uma das coisas que tenho notado neste meu retorno à blogosfera é que anda para aí muita gente de mal com a vida. Mas não me levem a mal – isso é bom, dá azo a belos textos sarcásticos, do jeito que eu adoro. E toda a gente sabe que quando andamos contentes, a deitar foguetes e a apanhar as canas, a avistar passarinho verde, com mouro na costa... poucos perdem o tempo de se sentar à frente do computador para escrever – o que a gente mais quer é aproveitar a vida, sair para a rua e passear, porque tudo que vemos é belo, todos os jardins estão floridos, todos os dias são de sol e arco-íris. Para além de que dissertar sobre a nossa felicidade não tem grande piada para quem lê.
Tal como a desgraça alheia é amiga do jornalista, a política é o combustível do comediante, e o azar ao amor é a inspiração do poeta.
Ora eu, que não vejo interesse na desgraça alheia (por isso é que faço alergia ao telejornal da TVI), que pouco ou nada percebo de política, e que já (quase) ultrapassei o meu passado azarento em matéria de amores… dou-vos o quê para ler?
Paciência, tomem lá disto… (é o quase):

Vem agora ter comigo, vem ver o céu cor de flor (*)
Olha para mim e pergunta-me se é verdade o que dizem do amor.
Não há quem te diga com certeza, o que devemos procurar na vida
Mas digo-te eu, que não tenho dúvida, esta história já foi lida.
Acordei de repente e o mundo está mais frio
As pessoas mais longe, dentro de mim um vazio.
Vagueio pelas ruas de sempre, conhecia os becos de cor
Mas sem ti são tão diferentes, esta cidade ficou maior.
Parece que já foi há tanto, mas foi só ainda há pouco
E já sinto a tua falta, estou entre o mar e um louco.

(*) Em alusão ao Blue or Pink, hm, hm?

A julgar pela péssima poesia, já todos vós se devem ter apercebido da semelhança com uma qualquer letra de canção fraquinha do vosso conhecimento. Pois é, isto foi feito há uns tempos, em cima do joelho, para se ajustar numa música que deverá passar em breve na vossa rádio predilecta. Ou não, também não faço ideia qual é a vossa rádio predilecta. É mais provável que passe nos Morangos, mas se vocês vêem essa merdice, metam-se já a milhas deste blog. Também já devem ter percebido que o meu orgulho nisso é menos que escasso, pelas razões que estão à vista. Enfim, pode ser que a oportunidade se repita e eu faça melhor figura. Por enquanto, digo alto e a bom som que contribuí para a fina qualidade da música portuguesa…
Para verem orgulho à séria, é porem-me a falar na minha aluna de flauta transversal que já vai actuar à frente de um auditório repleto de gente no próximo dia 30 e que me vai deixar os olhos a correr àgua feito duas torneiras estragadas. Mas isso é assunto para outro dia...

4 comentários:

Dri Viaro disse...

Passo pra conhecer seu blog, e desejar boa semana

bjsss

aguardo sua visita :D

Rafeiro Perfumado disse...

Eu por acaso nem concordo muito contigo, eu ando de bem com a vida e mesmo assim gosto de escrever a apontar o que me chateia. Explicação? Tenho um mau feitio do caraças... ;)

Beijocas!

francis disse...

concordo que a maioria dos bloggers tem esse registo...mas eu fujo deles com o diabo da cruz, já em chegam os meus problemas.

Teresa disse...

Rafeiríssimo, não quis atingir ninguém (eu mesma estou incluída..), muito menos a ti!
Acho que sabes que adoro o que escreves (eu e mais quantos?), seja ou não a falar mal da vida! ;)

Beijoca grd*